fiscal

01 ago 2019

De olho na parte FISCAL da sua farmácia

  1. VOCÊ SABIA QUE EXISTEM PRODUTOS MONOFÁSICOS QUE NÃO SÃO MEDICAMENTOS?

Realizar a conferencia do cadastro dos produtos do seu estoque pode gerar ainda mais lucro, pois assim, poderá identificar produtos que são monofásicos.

Você sabia que além de medicamentos, existem outros produtos vendidos nas farmácias que também são produtos monofásicos?

Uma conversa com seu contador irá ser de grande importância para ele identificar esses produtos e assim cadastrar no sistema de estoque já com suas tarifas corretas.

 

  1. MANTENHA UMA COMUNICAÇÃO CLARA E EFICAZ

Manter uma comunicação clara e eficaz entre a farmácia, o sistema e o seu contador, pode evitar erros fiscais, aumento de lucro, diminuição de problemas com folha de pagamento, entrada correta de mercadorias no sistema dentre outros.

A empresa deve comunicar ao seu contador todas as entradas fiscais, datas de férias dos seus colaboradores, e tudo que for referente a parte fiscal.

O contador fica responsável por gerar todas as obrigações fiscais, folhas de pagamento, declarações e se manter sempre atualizado e pesquisando benefícios que tragam para a farmácia uma melhor saúde fiscal.

O sistema de gerenciamento de uma farmácia, tem que oferecer todas as informações, estoque, flexibilidade, clareza e precisão no fornecimento das informações necessárias para o gestor e seu contador.

A comunicação entre todas as partes, deve ser sempre clara, direta e dentro do objetivo maior que é gerir a farmácia com mais eficiência aumentando seu lucro e sua saúde financeira.

Mantenha essa comunicação constantemente dentro da farmácia.

  1. DESPESA ACESSÓRIA É IMPOSTO? (DESPESA ZERO DISTRIFARMA)

A Despesa Acessória não é um imposto como muitos pensam. Ela foi criada por um acordo entre as distribuidoras do estado, para cobrir despesas de entrega, logística e outras demandas do processo de distribuição dos medicamentos.

Aqui na Distrifarma, não cobramos essa despesa do nosso cliente, ficando assim o cliente livre de pagar 7.1% em cima do valor do produto.

Basta fazer a conta, que você farmacista irá perceber o quanto de diferença esses 7,1% pode fazer no seu orçamento.

Um exemplo simples: Se você compra 10 mil reais de produtos por mês na Distrifarma, além de não cobrarmos taxa de boleto, você ainda deixa de pagar dessa compra, R$ 710,00. Se essa for a média de compra mensal em nossa empresa, Durante 12 meses você terá economizado R$ 8.520,00. (para alguns esse valor é a folha de pagamento do décimo terceiro salário da sua farmácia).

 

  1. CONFERIR SE O ICMS (DIFERENCIAL DE ALIQUOTA) JÁ FOI RECOLHIDO POR ST EM PRODUTOS ORIGINÁRIOS DE OUTROS ESTADOS.

Ao receber mercadorias, principalmente quando forem oriundas de outros estados, nunca esquecer de verificar se o ICMS já foi recolhido pelo ST, para que não seja pago novamente e assim gerar um gasto desnecessário e diminuir seu lucro sobre as vendas.

No novo processo de cobrança de ICMS, há apenas a retenção do valor sobre a primeira operação e o responsável passa a ser o substituto tributário. Ao vender a mercadoria para o próximo envolvido no processo, o substituto incluirá na nota fiscal o valor do ICMS referente àquela transação e o ICMS/ST das etapas subsequentes. Dessa forma, cada um dos substituídos pagará sua parte do imposto. A substituição tributária pode se dar em três diferentes formas:

– Antecedente: o pagamento ocorrerá em um momento futuro;

– Subsequente: o pagamento das operações subsequentes é antecipado;

– Concomitante: a responsabilidade pelo pagamento é atribuída a outro contribuinte e não àquele que está realizando a operação.

Acompanhar a entrada de notas e produtos na sua farmácia, é uma tarefa importante para que evitar pagar impostos desnecessários e diminuir assim seu lucro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *